Os bebês começam a observar e imitar o comportamento humano desde que saem da barriga da mãe. Possuímos um conjunto de células que se chamam neurônios espelhos, por refletirem o que está sendo feito diante dos nossos olhos e é ela a responsável por esse aprendizado. Essa repetição é um modo de se comunicar, como se fosse etapas anteriores a fala, e que nos diz como os bebê tem potencial enorme em reter informações e utilizá-las para se comunicar. Logo, quanto maior a interação que nós tivermos com os nossos pequenos – conversar, gesticular e olhar para o bebê enquanto fala – desde sempre, principalmente no primeiro ano de vida, melhor será seu vocabulário e sua dicção.

Falar é um passo muito importante no desenvolvimento infantil. Nos primeiros meses de vida, os bebês se comunicarem mais através de sons como o choro. Aos três meses, começam a vocalizar mais frequentemente durante interações e pouco antes de completarem um ano podem já começar a falar algumas sílabas. Após um ano, iniciam a junção das sílabas buscando se expressar melhor. Com três anos, normalmente, as crianças já formam frases longas e reconhecem o significado de diversas palavras.

Segundo o estudo do Journal of Psychological Science, consta que os bebês que os pais conversam mais com eles diretamente, tem as habilidades de se comunicar desenvolvida mais rapidamente, sabem falar mais palavras, reconhecem gestos e expressões. Isso mostra a importância desse estímulo desde cedo! Converse com seu filho sobre o que estão vendo, mostre um objeto e o descreva, fale as cores, narre as brincadeiras e o que é cada brinquedo, ensine o nome das coisas. Mesmo que na sua cabeça, ele não compreenda bem o que você está dizendo, isso o ajuda a construir a sua fala. Vale lembrar que a linguagem receptiva, ou seja, o que compreendemos, é geralmente bem mais avançada do que a linguagem expressiva – o que falamos. Portanto, lembre-se que seu bebê entende muito mais do que ele é capaz de expressar.

Timbre e tom de voz são importantes

Todos os estímulos contribuem para que a fala se desenvolva bem, logo, o tom de voz, o timbre e suas mudanças conforme a mensagem que quer ser passada, também são importante, principalmente para a criança entender como o outro se comunica com ela. Para que ela possa entender com clareza, o ideal é não falar imitando uma criança com tom de voz infantil ou falar erradamente, pois, senão, ele aprenderá de forma incorreta as palavras. Converse com ela normalmente!

O desenvolvimento da fala depende de um conjunto de fatores

A ajuda os pais e as pessoas a sua volta são importante para o desenvolvimento a fala dos pequenos, porém não é suficiente. Alguns fatores contribuem para que ele desenvolva bem essa habilidade, como: a genética, o ambiente em que vive e até seu desenvolvimento físico. Por sermos um organismo, biológico, físico e social, é sempre importante a contribuição do todo para que uma parte consiga trabalhar bem, mesmo que sozinha.

Como você pode estimular a fala do seu filho no cotidiano?

  • Pode soar meio estranho, mas narrar suas ações é uma ótima maneira. Por exemplo: quando for dar o almoço, narre preparando a comida: “vou cozinhar a cenoura,vou cortar a beterraba agora e por no seu pratinho, vamos sentar na cadeirinha para almoçar”. Quando for sair com ele, apresente os locais: o shopping, as casas, o cachorro, os pássaros, etc.
  • Aponte os objetos para que ele associe a fala ao objeto em si, isso facilita a memorização.
  • Atenção em como expressa as emoções através do seu tom de voz, seja consistente para que ele possa interpretá-las, por isso, não tenha medo de expressar o que sente.
  • Se dedique, fale, mas, sobretudo, converse. Dê espaço para que o seu bebê possa demonstrar ainda que não seja por palavras, tudo o que ele sente, quais são suas vontades e o que ele quer dizer. O silêncio é algo importante de cultivar para cada um ter seu espaço e, sem falar, que é um meio de se comunicar também.
  • Cante para o seu bebê, pois além de se divertido, o som, a rima e a repetição dos refrões são essenciais para a linguagem, criação dos vocábulos e facilita a alfabetização. Além de reterem a atenção do bebê, eles são apresentados a novas melodias e sons.  
  • Leia histórias e poemas, pois contribuem não só para a linguagem, mas também com para a imaginação e gera curiosidade. Leia com emoção, e não de forma automática, para que ele reconheça as emoções.
  • Explore os sinônimos, quando seu bebê aprender determinada palavra, depois o ensine o sinônimo dela, vai variando. Obviamente, será um processo até ele memorizar, mas com o tempo ele vai associando e aprendendo.
  • Socializar com as crianças da mesma faixa etária é importante também, pois ele vai observar o que o coleguinha sabe e imitará, ao se identificar, irá querer se comunicar com ele e se sentir pertencente aquele grupo.

Faça de todo esse aprendizado uma brincadeira, tudo o que o seu bebê vem vivendo nessa fase é muito novo. Logo, o ideal é que nada seja pesado para ele, estimule seu desenvolvimento durante as brincadeiras ou faça desse momento algo divertido e dinâmico. Não aja no automático. 



0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado.